Deputado Follador vai a sefin em defesa do criador de gado

O deputado Adelino Follador reuniu-se nesta manhã de terça-feira (15) com autoridades da Secretaria de Finanças (Sefin) para discutir uma solução para a crise que ameaça os criadores de gado do Estado de Rondônia, que não conseguem mais vender, principalmente a bezerrada de desmama para São Paulo (melhor mercado), devido a questões pontuais como os impostos e os valores escorchantes dos fretes que subiram muito após a escalada do preço do óleo diesel.

O deputado explicou ao secretário Luís Fernando Pereira da Silva, titular da Sefin, que devido a esta situação, os pastos estão lotados de animais prontos para recria, engorda e abate, mas estão empacados nos campos por vários motivos, entre eles a questão do frete, que sem uma decisão do Governo do Estado sobre a proposta do Governo Federal de retirar a cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do óleo diesel, está gerando enormes prejuízos para os criadores de gado de Rondônia. Sobre esta situação o deputado disse que o secretário prometeu uma solução o mais rápido possível.

Acompanhado do presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Rondônia (Faperon), Hélio Dias, o deputado citou também, por outro lado, os abusos dos frigoríficos que desprestigiam a produção rondoniense impondo preço inferior ao que é pago pela arrouba em outras praças, a exemplo do Mato Grosso e São Paulo, que historicamente sempre pagaram melhor que Rondônia pela mesma arrouba do boi gordo. Para se ter ideia, enquanto o preço da arrouba no Estado de Rondônia está estacionado entre R$ 280,00 e R$ 290,00, o Mato Grosso paga R$ 303,00 pela mesma arrouba, e São Paulo, destoando ainda mais desta realidade, tem um valor em movimento e paga R$ 330,00 pela arrouba do boi gordo. Da mesma forma, sobre esta situação o secretário prometeu analisar e propor uma solução.

Segundo Follador, para completar o drama dos criadores de Rondônia, a pastagem está escassa e ficando insuficiente para segurar a produção em curso – é muito gado para pouco pasto. Ele informou que as fazendas já estão com superlotação de animais prontos, mas com as vendas praticamente travadas devido aos custos do transporte (frete) e impostos, que causam prejuízos e oneram muito a produção (venda). “Nós estamos aqui para encontrar uma solução para este problema que afeta a economia do Estado e atinge diretamente a sobrevivência dos produtores rurais”, disse o parlamentar.

Ele informou que para o produtor rondoniense o principal mercado para o bezerro de desmama – São Paulo – ficou inviável em razão do valor muito elevado do frete, o que torna impossível a realização de qualquer negócio. “Não tem como o bezerro sair daqui para São Paulo, tendo em vista o preço do óleo diesel que onera todos os setores que dependem do transporte”, disse Follador eximindo o transportador de responsabilidade, afirmando que ele apenas repassa o custo.

Adelino Follador disse que acompanha o movimento nacional pela queda da cobrança do ICMS proposto pelo Governo Federal, e que espera do Estado de Rondônia uma posição concreta neste sentido, capaz de melhorar a margem de lucro, e por outro lado, de baratear os custos do transporte. “Queremos uma política definitiva de incentivo para favorecer o criador de gado do Estado, segmento importante para nossa economia”, disse o deputado.

 

Fonte: Ascom